Budweiser: Resistência Cervejeira



Se tem uma cerveja resistência ela se chama BUDWEISER Budvar! Senta que lá vem história! Segura na minha mão e se joga nessa:

Era uma vez... uma cidade chamada České Budějovice que ficava na região da Bohemia onde nos presentes dias chamamos de República Tcheca. A cidade também é conhecida como Budweis (a forma alemã de se dizer České Budějovice). Budweiser significa quem ou o que vem de Budweis! Essa região produzia cerveja desde o séc XIII. As cervejas eram tão famosas que na corte da Bohemia eram conhecidas como "Beer of Kings” (qualquer semelhança em slogan não é mera coincidência)!

Em 1842 um novo tipo de cerveja foi lançado em Plzeň (Pilsen em alemão), também na região da Bohemia e logo ficou famosa e conhecida em outros lugares da Europa e posteriormente em todo mundo.

Devido a muitas guerras, milhares de europeus migraram para os EUA no começo do século XVII. Dentre eles estava Adolphus Bush que chegou em St Louis em 1857 e que trabalhava como representante de equipamentos cervejeiros. Ele se casou com a filha de Eberhard Anheuser (que tinha adquirido uma cervejaria) e passou a fazer parte do negócio familiar que em 1879 mudou de nome para Anheuser-Bush Brewing Association. Assim como vários imigrantes alemães que também possuiam cervejarias nos EUA ele decidiu adotar novas tecnologias da época e reproduzir as famosas cervejas da região da Bohemia. A segunda receita de Pilsen produzida pela Anheuser-Bush se chamava "Budweiser Lager Bier" e foi feita para um amigo de Bush, Carl Conrad.


A receita era baseada na cerveja de Budweis porém continha arroz (devido a disponibilidade do grão e tipo de malte também disponível na época nos EUA). Outras cervejarias como Miller e Schiltz também chegaram a produzir cervejas como o nome da cidade da Bohemia pois isso trazia um status de qualidade e também de um tipo de cerveja que estava "trend".

Por volta de 1870 Bush começou a processar outras cervejarias que usavam o termo Budweiser e várias vezes citou que a a cerveja por ele produzida era inspirada na cerveja feita em Budweis. A Anheuser Busch acabou ganhando a maioria dos processos contra cervejarias americanas que usavam a terminologia Budweiser e a marca ficou exclusiva para a Anheuser Busch nos Estados Unidos. Em 1891 Conrad vendeu o direito perpétuo a Bush de usar a marca pois estava falido e precisava de $$$.

Com adventos tecnológicos como refrigeração, engarrafamento mecânico e pasteurização aliado a expansão das estradas de trem e de carros refrigerados o produto acabou se popularizando nos EUA e ganhando símbolo de “produto americano”. Em 1901 a Budweiser (americana) já era vendida nacionalmente e representava 65% da produção da Anheuser Busch.

De volta a Europa... uma cervejaria foi construída em 1895 em Budweis para representar, digamos assim, o sentimento Tcheco da região. Essa cervejaria se chama Budějovický Budvar (Budweiser Budvar em alemão). Ela não chama a sua cerveja de Pilsen porque esse é o nome da cerveja produzida em Plzeň na cervejaria Pilsen Urquell (Plzeňský Prazdroj). Lá na Budweiser Budvar eles produzem uma svetly lezak (lager leve) chamada de Budweiser.

Veja que usar nomes europeus para promover produtos não é algo novo e muitas vinícolas já tentaram vender Bordeaux ou Champagne, ambos nomes protegidos pois se tratam de indicação geográfica, assim como o nome "Budweis Beer" que é “Protected Geographical Indication” ou PGI que significa que o produto deve ser produzido, preparado ou processado inteiramente ou parcialmente em uma específica região.

A batalha pelo nome Budweiser começou a nada mais nada menos que em 1907 e imagino que as cervejarias da região da Bohemia não curtiram esse rolê de ver o nome da sua cidade e de seus produtos sendo reproduzidos fora de Budweis (e completamente diferente?) ganhando fama como produto americano.


Aparentemente tudo ficou meio quieto até os anos 80 quando a cervejaria americana começou a vender sua cerveja na Europa com o nome de Budweiser e foi por aí que inúmeros processos recomeçaram.

A disputa pelo nome está longe de acabar. A Budweiser Budvar já ganhou 70% de todos os processos contra a rival mas, nos Estados Unidos, Canadá, Brasil, México, Panamá, Peru e Filipinas a cervejaria Tcheca não pode usar o seu nome original e tem que ser vendida pelo nome de Czechar.

Não creio que é preciso lembrar que a Anheuser Busch foi comprada pela Interbrew (fusão de Brahma com Antártica e depois com a belga Stella) e que passou a se chamar AB-Inbev depois que fundiu com a SABMiller e virou a maior cervejaria da galáxia.

Claro que a maior cervejaria da galáxia já tentou comprar a Budweiser Budvar mas ela continua como uma empresa ESTATAL. Pasmem, sim ela é independente! Houveram até protestos dos cidadãos de Budweis sobre tentativa de privatizar a cervejaria.

O mesmo não podemos dizer para a cerveja 1795, cuja cervejaria Bürgerliches Brauhaus Budweis, fundada em 1795 (um dos motivos da criação da Budějovický Budvar em 1895), pertence hoje ao maior grupo cervejeiro da galáxia.

Também acho desnecessário comparar as receitas já que a europeia utiliza apenas ingredientes nacionais, ou seja, malte de cevada da região da Moravia e lúpulos da região de Žatec (Saaz em alemão). Ela também faz o tradicional processo de decocção e ainda matura a sua cerveja por 90 dias.

Esse texto é minha tentativa de resumir a história. Você também pode ler "um resumo" sobre a batalha das marcas no site da Budweiser Budvar.


Talvez essa seja uma das melhores histórias de resistência cervejeira fora do "novo mundo craft". E como eles mesmo categorizam é a batalha David x Golias. Botar o dedo na cara e desafiar quem tudo quer e tudo compra é coisa de gente corajosa pra caralho e orgulhosa da sua história e tradição cervejeira.

Seja resistência. Beba resistência.

FIM.


0 views

© 2015 by pricolares. All rights reserved

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle